J.Bouchon Reserva Carménère 2016

Quantidade disponível em estoque: 16
J. Bouchon Reserva foi concebida para capturar o melhor do Vale do Maule com vinhos expressivos e satisfatórios. Esta linha é produzida usando uvas selecionadas das vinhas em Santa Rosa, Las Mercedes e Mingre. Com o Carmenere Reserva do J.Bouchon está empenhada em criar um vinho consistentemente de alta qualidade que possa ser confiado cada vez que uma garrafa é aberta ao longo dos anos.

90 Pts Descorchados, Best Value Reds

De: R$109,00

Por: R$99,00

3x sem juros R$33,00

Cálculo do Frete

O preço pode variar um pouco dependendo do valor da compra ou do tamanho do pedido.

Informe seu CEP para calcular o valor da entrega.

Frete Grátis em pedidos com valor acima de R$300 para as regiões Sul e Sudeste

Uva
Tipo de Uva
Carmenère
Alcóol
Teor Alcoolico
13%
Pontuação
Pontuação
90 Best Value Reds
DES
Queremos saber sua opinião

Apenas usuários registrados podem comentar. Por favor, identifique-se ou cadastre-se

Informação Adicional
Descrição Emile Bouchon descobre o Chile no século XIX Essa história começa com o sonho de um jovem aventureiro francês há quase um século e meio. Com 22 anos, Emile Bouchon deixa sua casa – uma comunidade de pequenos vinicultores em Arveyres, perto de Bordeaux, na França – e embarca para o Chile, na primavera de 1887. Emile é contratado como enólogo consultor pela Vinícola Vigouroux, que, na época, era bastante conhecida no Chile. Lá, ele se destaca pelas técnicas e conhecimento que adquiriu na França e logo se torna um conhecido vinicultor. Julio Bouchon e seu amor pelo Vale do Maule Mantendo o espírito aventureiro de seu avô, que tinha abandonado sua França natal quase um século antes para a selvagem fronteira chilena, Julio Bouchon pai decidiu procurar um novo terroir em que pudesse levar adiante o projeto de vinicultura da família Bouchon. Na busca pelo local perfeito, ele se encantou com os solos argilosos das áridas terras costeiras do Vale do Maule, em meio à Cordilheira da Costa, levando-o, finalmente, a comprar a propriedade Mingre em 1887. A 4ª geração dos Bouchon O amadurecimento Para os Bouchon, família é tudo: passado, presente e futuro. O jovem Julio Bouchon Jr. aderiu ao projeto familiar em meados da década de 90. Seus irmãos Juan e María juntaram-se a ele dez anos mais tarde. Sua chegada coincidiu com uma nova fase para os Bouchon: a exportação. Era uma época em que uma visão jovem e atual era só o que bastava para encontrar um novo equilíbrio entre tradição e inovação...
Preço R$109,00
Tipo de Vinho Tinto
Tipo de Uva Carmenère
Safra 2016
Pontuação 90 Pontos
Países ou Regiões Chile
Teor Alcoólico 13%

Descrição do Produto

Emile Bouchon descobre o Chile no século XIX Essa história começa com o sonho de um jovem aventureiro francês há quase um século e meio. Com 22 anos, Emile Bouchon deixa sua casa – uma comunidade de pequenos vinicultores em Arveyres, perto de Bordeaux, na França – e embarca para o Chile, na primavera de 1887. Emile é contratado como enólogo consultor pela Vinícola Vigouroux, que, na época, era bastante conhecida no Chile. Lá, ele se destaca pelas técnicas e conhecimento que adquiriu na França e logo se torna um conhecido vinicultor. Julio Bouchon e seu amor pelo Vale do Maule Mantendo o espírito aventureiro de seu avô, que tinha abandonado sua França natal quase um século antes para a selvagem fronteira chilena, Julio Bouchon pai decidiu procurar um novo terroir em que pudesse levar adiante o projeto de vinicultura da família Bouchon. Na busca pelo local perfeito, ele se encantou com os solos argilosos das áridas terras costeiras do Vale do Maule, em meio à Cordilheira da Costa, levando-o, finalmente, a comprar a propriedade Mingre em 1887. A 4ª geração dos Bouchon O amadurecimento Para os Bouchon, família é tudo: passado, presente e futuro. O jovem Julio Bouchon Jr. aderiu ao projeto familiar em meados da década de 90. Seus irmãos Juan e María juntaram-se a ele dez anos mais tarde. Sua chegada coincidiu com uma nova fase para os Bouchon: a exportação. Era uma época em que uma visão jovem e atual era só o que bastava para encontrar um novo equilíbrio entre tradição e inovação...